18 junho 2020

Aluno da ESE utiliza aprendizado da sala de aula no Hackathon do BMG

Matheus Passos Gomes, aluno do terceiro semestre da graduação em Administração da ESE – Escola Superior de Empreendedorismo, ficou em segundo lugar no hackathon promovido pelo Banco BMG.

A competição reuniu programadores, designers, profissionais de marketing e da área financeira para criar uma solução para ajudar pessoas a investirem e economizarem gastos. A equipe de Matheus, formada por: dois desenvolvedores, um UX Design, um da área de finanças e Matheus, na área de desenvolvimento de negócios, propôs a criação de um aplicativo que simulasse o famoso Brinquedo da Estrela, o Jogo da Vida. Nessa atividade de gamification, os participantes preenchem um formulário e estabelecem uma meta. Conforme o participante economiza, ele ganha descontos em produtos de parceiros do Banco BMG.

A equipe teve 48h para desenvolver sua ideia, a partir de mentorias que também fazem parte da competição. Os encontros dos participantes foram totalmente online, o que surpreendeu o Matheus, “A experiência foi realmente diferente. A comunicação online e as formas para superar a distância física também fizeram parte do desafio”.

Para Matheus, os aprendizados na ESE fizeram diferença ao longo da competição e ajudaram no desenvolvimento da ideia de negócio. “Desde a aula de teatro e de pitch, quando treinávamos estratégias para falar em público, até as aulas de modelagem de negócio e pesquisa de mercado. Tudo isso aprendi na ESE. Não teve outro lugar que tive contato. E tudo isso fez muita diferença no meu desempenho no hackaton”.

Apesar de estar no começo do curso de Administração, Matheus já definiu que vai ser dono do próprio negócio. No final de 2019, ele participou de outro hackathon em que precisou criar uma solução para ajudar recém-formados do curso de Direito a colocarem seus conhecimentos em prática. O projeto de Matheus com a sua equipe ganhou em primeiro lugar, e hoje eles tentam colocar a ideia de negócio no Programa Incubadora de Projetos Inovadores do Sebrae. “Eu tenho o plano de continuar esse projeto e tentar criar uma empresa a partir da ideia desse primeiro hackathon que participei”, contou entusiasmado.